Todo mundo sabe que as franquias são as principais armas das fabricantes de consoles. Acima do potencial gráfico ou das funções de entretenimento disponíveis, são os games que levam o jogador a escolher entre uma plataforma e outra, de acordo com o seu gosto pessoal por gênero ou por uma série específica.

Eu, assim como muitos outros por aí, não tenho preferências por um console em específico. Tenho, sim, amor por uma série em particular, Resident Evil, uma das franquias que mais foi pulverizada em diversas plataformas ao longo dos últimos dez anos. Sendo assim, eventualmente  me deparo com um dilema constante na vida de praticamente qualquer fã de uma saga: o que fazer quando sua franquia favorita tem jogos lançados em diversas plataformas?

Esse problema não é exclusividade de quem gosta da série da Capcom. Fãs de Assassin's Creed, Kingdom Hearts e Metal Gear, apenas para citar alguns exemplos, também sofrem com capítulos inéditos lançados para quase todos os consoles do mercado.

Por isso, e baseado na minha experiência pessoal, compilei uma lista com quatro dicas básicas para quem faz questão de jogar todos os títulos de sua franquia favorita. Use-as com cautela e de acordo com a intensidade de seu fanatismo.

Use o YouTubeO melhor amigo do gamer baixa renda

Foi-se o tempo em que jogos lançados para plataformas mais obscuras acabavam ficando desconhecidos. Com o advento da internet do YouTube, até mesmo a versão de Resident Evil 2 para um desconhecido  console portátil da Tiger.com está disponível para conhecimento de todos. E isso, sem dúvida alguma, também se estende aos jogos da atualidade.

Normalmente, detonados completos de games recém-lançados começam a aparecer na internet poucas horas após a chegada dos títulos às lojas. São jogadores fanáticos dispostos a compartilhar sua jogatina com outros enlouquecidos que, por um motivo ou outro, não podem ter acesso às obras naquele momento.

É claro, jogar e assistir são duas coisas bem diferentes. Mas, ainda assim, o YouTube serve como consolo caso você não tenha a menor esperança de um dia colocar as mãos naquele novo Assassin’s Creed para o Vita.

Faça amigosVocê não tem, mas seu colega temFonte da imagem: Divulgação/Nintendo
Apesar da maioria não saber lidar com isso, as pessoas têm gostos bem diferentes. Enquanto um jogador prefere os consoles de mesa e adora gráficos em HD, outro prefere a jogabilidade casual do Nintendo Wii e um terceiro gosta mesmo é dos consoles portáteis. E, olhe só, todos podem ser amigos.

Conhecer pessoas com gostos diferentes para games, normalmente, resulta em amigos com consoles variados. E, sendo assim, sempre existe a possibilidade de empréstimos de aparelhos ou, caso seu colega seja zeloso demais, encontros caseiros e maratonas de jogatina com seus jogos preferidos.

Compre salgadinhos, bebidas e marque uma maratona da série Resident Evil Chronicles na casa do seu coleguinha que tem um Nintendo Wii. Dessa forma, é possível ter acesso aos diferentes títulos de sua franquia favorita sem gastar um tostão. De brinde, você ainda ganha uma vida social mais ativa e pode sair um pouco de casa.

Alugue consoles ou jogue por horaÉ caro, mas funcionaUma clássica "locadora". Fonte da imagem: Comercinho em Foco
De olho nas tendências, uma série de locadoras de games no país acabou investindo não apenas no aluguel de jogos, mas também no de acessórios e consoles. É uma boa alternativa para quem quer dar uma festa de Guitar Hero sem comprar instrumentos de plástico ou, no nosso caso, experimentar os jogos de grandes franquias em consoles diferentes.

Há também os estabelecimentos que permitem aos jogadores experimentar os títulos no próprio local, pagando por hora. Apesar de não ser a mesma coisa, esse método serve como alternativa para quem não tem amigosnão conhece pessoas que tenham variadas plataformas.

Isso, porém, tem um preço. E ele é bem alto. Uma hora com o PlayStation 3 custa, em média, R$ 10. Um dia com um Xbox 360 em casa pode sair por R$ 30, mais ou menos. A variedade vale a pena, mas, caso esse tipo de serviço acabe se tornando uma constante na sua vida, é melhor começar a pensar em comprar um console em várias prestações.

Tenha paciênciaPreços caem e jogos são relançados

Os jogos de tiro on-rails da série Resident Evil, antigos exclusivos do Nintendo Wii, chegarão na semana que vem ao PlayStation 3 em uma remasterização HD. O mesmo vale para Metal Gear Solid: Peace Walker, título que por muito tempo foi do PSP e que, agora, está disponível também para o console de mesa da Sony. Quem teve paciência e esperou se deu melhor do que quem comprou consoles pensando exclusivamente nesses títulos.

Para que isso acontecesse, porém, os fãs tiveram  de aguardar pelo menos alguns anos. Para muitos, isso equivale à paciência de um mestre zen, mas, para outros, é a única alternativa viável, já que não é fácil para ninguém arranjar dinheiro para tantos aparelhos – principalmente quando um deles é adquirido por causa de um único game.

Outra opção interessante é esperar um pouco antes de adquirir desesperadamente um novo aparelho. Os preços, principalmente no Brasil, tendem a baixar à medida que os meses vão passando, mesmo que as fabricantes não realizem uma redução oficial. Quem teve um PlayStation 2 sabe que o console chegou a custar mais de R$ 1 mil por aqui e, algum tempo depois, pôde ser encontrado por menos de R$ 500.

A mesma coisa acontece com praticamente todos os outros consoles e o mesmo vale para os jogos. Nesse caso, quem espera sai ganhando, gasta menos e tem acesso ao mesmo conteúdo que todo o restante. Mas fica a pergunta: você aguenta esperar?

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!