Inícios de anos são, tradicionalmente, períodos relativamente mornos para a indústria do entretenimento eletrônico. Trata-se daquele período em que: a) grande parte da conta bancária encontra-se nas mãos de lojistas — de maneira que é bem possível que você esteja aproveitando os hits do final do ano — e b) praticamente nenhuma publicadora, em sã consciência, colocaria algo no mercado.

Ok, há algumas exceções aqui, provavelmente. Afinal, sempre há aqueles casos de produtores que, cientes da concorrência desleal das marcas consagradas, resolvem, propositadamente, lançar seus títulos após o escancarar de carteiras dos períodos festivos.

Img_normal

Mas isso não quer dizer que este início de 2012 não possa começar a aquecer os motores um pouco mais cedo do que de costume. De fato, o atual mês deixou alguns belos motivos para que você acabasse de vez com as suas economias — talvez você tenha comido frango em vez de peru, o que teria deixado algumas moedinhas na carteira.

De qualquer forma, este ano parece particularmente abarrotado de bons lançamentos e, portanto, talvez a melhor dica seja gastar ponderadamente o seu orçamento... Tanto para um futuro próximo quanto para o que ainda deve vir — digamos, entre aperfeiçoamentos, aniversários e lançamentos bombásticos. Até porque... Nunca se sabe quando o próximo Diablo pode aparecer (ok, nem a própria Blizzard deve saber com certeza).

Enfim, vamos ao que pode aquecer as coisas já nesse início de 2012.

Esquentando os motoresAlguns motivos para empenhar trocados em um período de vacas magras
Ok, é impossível não concordar que janeiro, até aqui, foi um mês excelente para tirar a poeira daquele seu antigo título favorito. Mas ei! Isso deve mudar... E bem rápido. Sobretudo se não exatamente lhe agradou a ideia de atravessar, de ponta a ponta, um Final Fantasy cujo mapa poderia ser comparado às tripas de um Chocobo esticadas.

Em outras palavras, Final Fantasy XIII-2 dará à Square Enix a possibilidade de conquistá-lo novamente com o que há de melhor em FF. Embora dizer que XIII-2 estará realmente à altura de pedradas como FF VII ainda seja quase como contar como ovo dentro do Chocobo, fato é que os trailers são inegavelmente promissores.

Missões alternativas, saltos temporais, jogatina em cassinos... Mais um punhado de distrações que dirão: “o mundo não vai a lugar algum, salve-o depois!”. Enfim, é impossível não se animar com a ideia de que FF pode se tornar novamente um RPG. Mas nem tudo em janeiro são olhos puxados.

De fato, durante os próximos dias, a releitura de FF XIII deve dividir o cenário com um colosso que, convenhamos, tem se portado como azarão há algum tempo. Isso não significa, é claro, que Soul Calibur V não possa representar a “volta por cima” da Namco Bandai. Trata-se da arena em que serão jogados novos e velhos guerreiros — uma verdadeira tendência aqui, conforme bem demonstraram Metal Gear Solid IV: Guns of the Patriots e Splinter Cell: Conviction.

Por fim, haverá também NeverDead e, finalmente, um mês já ligeiramente aquecido dará as caras. Fevereiro trás consigo um estreante promissor, Asura’s Wrath, e também o clássico sobre explodir/demolir coisas Twisted Metal. Mas isso ainda é só o começo.

Março trará consigo o controverso Resident Evil: Operation Raccoon City — que,há quem diga, deve acabar obscurecido pela própria franquia. Além disso, com Street Fighter X Tekken, a Capcom terá mais uma oportunidade de provar que crossovers são uma fórmula de sucesso aparentemente sem prazo de validade.

Caso o mundo não acabe...GTA V, Diablo III, Resident Evil 6 e um novo console na forma

Caso as coisas não se transformem em pó estelar neste ano — conforme querem algumas previsões —, é provável que os já idosos consoles tenham bons motivos para fechar com chave de ouro seus ciclos.

Afinal, trata-se do ano em que — dizem as lendas anciãs — a Blizzard pode finalmente lançar Diablo III, enquanto os 15 anos de certa franquia da Capcom devem trazer o recém anunciado Resident Evil 6 para as prateleiras. Mas há também Mass Effect 3, Metal Gear Solid: Revengeance e tantos outros... Mas isso ainda em termos de jogos.

Afinal, 2012 será também o ano em que você poderá, novamente, depositar sua confiança nos visionários da Nintendo. Embora o nome “Wii U” tenha sido recentemente questionado pela própria Big N, fato é que a empresa será novamente um abre-alas para uma nova geração.

Enfim, assim como em 2011, é fácil constatar que apenas um gosto muito singular poderia passar sem encontrar um jogo (ou console) que faça valer novamente a investida no entretenimento eletrônico. Enfim, carteiras a postos... Corram!
 

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!