É assim que tudo começa. No meio de uma semana exaustiva de trabalho, você já tem planos para a sexta-feira à noite: chegar em casa, abrir uma cerveja e passar longas horas matando adversários virtuais - reais em rodadas de Combat Arms. E então, mesmo com sua turbinada conexão, você se depara com o grande e invencível vilão de qualquer jogo online: o lag.

A primeira reação, mais óbvia e fácil, é culpar os companheiros de jogo. Com suas conexões lentas e computadores sem condição de participar de forma decente da jogatina online, esses indivíduos deveriam procurar outras diversões na vida. Na maioria dos casos, porém, o buraco pode ser bem mais embaixo e representar um problema pouco conhecido pelo usuário comum: a latência.

Img_normal

Ida e voltaPercorrendo um longo caminhoApesar de parecer transparente para o usuário, modems e servidores trabalham sem parar durante uma partida online. Há fluxo de dados o tempo todo; são pacotes que saem do computador ou console do usuário (também chamado de cliente) e atravessam toda a rede de fibra ótica até chegarem ao servidor que está gerenciando a partida, o host. Esses dispositivos enviam as informações de volta à sua origem, e tudo isso é traduzido em imagens que são vistas na tela.

Esse fluxo, contudo, não acontece de forma simples como a descrição do parágrafo anterior faz parecer. O caminho seguido pelos dados de jogo é compartilhado com milhares de outros pacotes, oriundos de diversos computadores, todos conectados à mesma rede. E, como em qualquer rua movimentada de grandes cidades, congestionamentos e outros problemas não são nada incomuns.

Um exemplo comum deste problema ocorre em transmissões jornalísticas realizadas ao vivo. Não é difícil ver o âncora do telejornal fazendo uma pergunta a um repórter localizado em outro país, por exemplo, e tendo que esperar longos e constrangedores segundos até receber uma resposta. No jargão da TV, isso é chamado de delay, palavra inglesa que significa atraso.

Uma outra questão tem grande influência no bom andamento de uma partida online, e também é evidenciada no vídeo acima: a localização geográfica. Imagine que, quanto mais distante do servidor estiver o computador emissor dos dados, mais tempo estas informações levarão para chegar até ele e retornar ao ponto de origem. Em um mundo ideal, servidores mais próximos do ponto de origem dos pacotes gerariam respostas mais rápidas. A prática, porém, nem sempre é assim tão simples.

Virtualmente, todos os computadores do mundo estão conectados uns aos outros por meio da internet. Entretanto, Esta ligação, não é feita simplesmente por meio de muitos e muitos quilômetros de fios – ela depende dos nós, espécie de intermediários entre os computadores, responsáveis pelo processamento e redirecionamento de dados entre servidores ao redor do mundo.

São os nós que fazem a distância geográfica do usuário ao servidor se tornar um fator relativo. Esses intermediários, caso não estejam bem configurados ou apresentem sobrecarga, também podem resultar em lentidão na conexão. Além disso, podem perverter a lógica da proximidade geográfica, fazendo com que, muitas vezes, um host mais distante seja uma melhor opção do que aquele que está do lado de casa.

Para entender esse conceito, imagine a seguinte analogia: é preciso chegar do ponto A ao ponto B em uma cidade, e há dois caminhos possíveis. Um deles é mais curto do que o outro, mas o primeiro conta com mais trânsito do que o segundo. Um motorista que optar pela segunda opção pode, muitas vezes, chegar ao destino antes do outro, que optou pela rota menor e mais movimentada.

Sendo assim, uma partida online realizada em um servidor japonês com apenas dois nós entre o usuário e o equipamento pode, muitas vezes, apresentar desempenho melhor do que uma sessão hospedada em um equipamento nos EUA com transmissão através de cinco nós. E o pior de tudo: o usuário nada pode fazer para mudar a rota de sua conexão.

Ping, pongVelocidade medida em milissegundos

Img_normalEm Resident Evil 5, após o pressionamento de um botão, Chris Redfield leva quase um segundo para se abaixar e coletar um item que está logo em sua frente. Já em Call of Duty: Black Ops, se está frente a frente com um inimigo quando, no instante seguinte, ele desaparece e acaba com a vida do jogador com tiros pelas costas. No mundo dos games, esses são exemplos de problemas gerados pelo atraso na comunicação entre cliente e servidor.

No jargão técnico, a medida do tempo de envio e recebimento dos dados entre o servidor e o usuário é chamada de ping. Este resultado é exibido em milissegundos e serve como indicador da qualidade da conexão. Por qualidade, entenda uma relação entre a distância geográfica, a velocidade da internet do jogador e o tamanho do congestionamento na rede.

Quanto menor o ping, melhor o desempenho nos jogos online. Normalmente, qualquer valor abaixo de 50 milissegundos é considerado o ideal, pois, nesses casos, o delay causado pelo envio e recebimento dos dados é tão pequeno que chega a ser imperceptível, e praticamente não resulta em lag durante as partidas.

Alguns games, como Street Fighter IV, exibem as informações de pings do usuário de forma visual e mais amigável. No caso do game de luta da Capcom, a medição é exibida por meio de níveis idênticos aos vistos em indicadores de sinal celular. Quanto mais barras, melhor a qualidade da conexão com o usuário e menores as chances de lag.

Outros, como é o caso de Counter Strike ou Crysis 2, exibem essa informação de forma numérica. De qualquer maneira, cabe ao usuário escolher a qual cliente deseja conectar-se. Os FPS citados, por outro lado, contam com um sistema de filtragem que elimina todos os servidores ou jogadores que possuem latência acima de 50. Desta forma, o usuário sabe que, seja qual for a escolha, qualquer um dos resultados exibidos proporcionará em boa qualidade.

Mais velocidade = Mais qualidadeOu nãoPara a maioria dos usuários, apenas possuir uma conexão de alta velocidade é suficiente para garantir um bom desempenho em games online. Essa afirmação, porém, é um erro comum, pois, como já dissemos, a performance das partidas depende também de uma série de fatores que, na maioria das vezes, estão além dos poderes do usuário.

O primeiro deles é a existência de servidores dedicados para as partidas online de um game específico. Esses equipamentos são espalhados por todo o globo, de forma a reduzir a distância geográfica até o usuário, e são mais concentrados nas áreas que contam com maior fluxo de jogadores. A falta desse tipo de recurso é sinônimo de congestionamento na conexão, já que o mesmo dispositivo será dividido com outros games da mesma desenvolvedora.

Img_normalEm 2009, na tentativa de implementar um novo sistema de organização de jogadores por níveis de habilidade, a Infinity Ward anunciou que Call of Duty: Modern Warfare 2 não contaria com servidores dedicados para sua versão PC. A empresa, entretanto, garantiu que o desempenho nas partidas online não seria prejudicado devido à utilização de protocolos de prioridade para o game.

Apesar dos poucos relatos de problemas de conexão e lentidão nos jogos pela internet, a decisão provocou a ira dos fãs, que organizaram boicotes e petições online, acumulando centenas de milhares de assinaturas. O clamor dos amantes de Call of Duty foi suficiente para que a versão seguinte do FPS, Black Ops, chegasse ao mercado com robustos servidores dedicados exclusivamente à guerra pela internet.

Mais um exemplo de que a velocidade não é tudo para garantir um jogo online perfeito ocorreu durante nossos testes do serviço OnLive. A ideia revolucionária tem como principal motor a capacidade de fazer com que computadores muito simples possam rodar perfeitamente qualquer jogo para PC, bastando apenas que o usuário possua uma conexão turbinada.

Os escritórios do Baixaki contam com uma conexão com velocidade de 100 Mb/s. E mesmo com essa banda, não pudemos usufruir de forma plena dos serviços do OnLive devido à latência, por estarmos muito distantes dos servidores do serviço. Em alguns casos, os games nem mesmo eram iniciados, pois se tornariam inutilizáveis devido ao grande atraso gerado pelo longo caminho percorrido pelos dados. Os que funcionaram sofreram com lags constantes e travamentos.

O que fazer, então?Algumas soluções para evitar o problemaBasicamente, uma conexão de, no mínimo, 5 Mb/s é suficiente para proporcionar uma jogatina online sem lags ou problemas de conexão. Bandas menores do que isso, porém, também são capazes de funcionarem para games pela internet, mas os usuários podem sofrer com alguns problemas de atraso, caso estejam participando de partidas que exigem o envio ou recebimento de muitos dados simultaneamente.

Evite conectar seu video game ou computador à rede Wi-Fi. Apesar de esse método ser mais prático, e a maioria dos consoles atuais já virem equipados com antenas para acesso à internet sem fio, esse tipo de conexão é instável e altamente suscetível a interferências, dois aspectos que podem estragar completamente sua experiência na rede. Utilize cabos de rede de boa qualidade e certifique-se de que os fios estão bem encaixados ao seu aparelho.

Img_normalDê preferência a jogos que possuem servidores dedicados, como é o caso de Homefront ou World of Warcraft, apenas para citar dois exemplos entre milhares deles. Uma rápida busca no Google deve dar ao usuário a resposta se seu game favorito possui ou não sistemas exclusivos para as partidas pela internet.

Mesmo usuários com banda suficiente para suportar a jogatina online podem sofrer com altas latências. Aplicativos disponíveis no Baixaki, como o cFosSpeed ou o CableNut, podem otimizar a conexão com a internet e diminuir ao máximo o valor do ping. A utilização desses softwares, todavia, é mais indicada para usuários avançados, já que iniciantes provavelmente não saberão o que fazer em meio às opções disponíveis.

Longas distâncias geográficas entre usuário e servidor não podem ser resolvidas com medidas que envolvam nada menos do que uma mudança de país. Nesses casos, o jogador fica preso ao bom senso do desenvolvedor e à expectativa de que ele espalhe servidores por todo o mundo, de forma a otimizar a experiência para todos. Com a popularização dos jogos online e a demanda cada vez maior por esse tipo de experiência, essa realidade está cada vez mais próxima.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!