Iniciar uma análise de God of War: Origins descrevendo pontos positivos e negativos de uma franquia hoje quase onipresente provavelmente seria um erro. Afinal, você já deve saber muito bem do que se trata — um sujeito truculento com mania de gritar e desmembrar tudo o que aparece pela frente —, já e mesmo os deslizes de GoW são hoje considerados “clássicos”.

O motivo para isso é fácil de perceber. Se antigamente um bom ícone normalmente era criado em torno de um animal ou de outra figura singela (um encanador, por exemplo), hoje uma montanha de músculos pode muito bem carregar o peso de uma marca globalmente influente. Em outras palavras, desde 2005 Kratos e PlayStation são tomados quase como sinônimos... O que provavelmente não é novidade para ninguém.

Img_normal

Afinal, o anti-herói espartano popularizou os mini games de contexto, trouxe as Blades of Chaos e ainda introduziu golpes de finalização capazes de deixar os mais sensíveis de estômago embrulhado — mesmo com a considerável pixelização dos primeiros títulos para PlayStation 2.

Mas sim, considerações preliminares à parte, há aqui pontos positivos a destacar, e também deslizes. Para quem ainda não sabe do que se trata, Origins é um pacote que enclausura em um mesmo disco Blu-ray os títulos God of War: Chains of Olympus e God of War: Ghost of Sparta, ambos lançados originalmente apenas para o PlayStation Portable. Vamos aos detalhes.

aprovado

Sim, há uma história... Mas também há muita pancadaria!

Verdade seja dita: provavelmente há formas mais funcionais e também menos duvidosas de se aprender mitologia grega do que em qualquer jogos da série God of War. Isso fica bem claro aqui. Sim, há uma história e, sim, certamente ela traz elementos narrativos que podem prender a atenção por algum tempo.

Mas sejamos realistas, a diversão maior de GoW ainda vem da sanguinolência proveniente da pancadaria praticamente ininterrupta — nesse caso em particular, trata-se mais do estilo de Ghost of Sparta. São movimentos bem sincronizados, combos visualmente impressionantes e diversas combinações praticamente sem precedentes entre partes biológicas e instrumentos pontiagudos. Enfim, é fácil perder o fio da meada entre um sujeito degolado e outro. E isso absolutamente não é ruim.

Um formato que gerou escola

God of War tem uma mecânica de jogo simples... Incrivelmente simples. Longe de limitar possibilidades, foi justamente esse formato que arremessou a franquia aos píncaros da notoriedade.

Img_normalDe fato, nesse quesito, não só Origins se mantém fiel às suas matrizes no PSP, como estas também seguem à risca as bases que forma lançadas no PlayStation 2. Há os ataques leve, pesado e agarrão, e há também magias, upgrades e movimentos especiais. Tudo tão intuitivo quanto funcional.

No caso particular de Ghost of Sparta, há ainda uma adição interessante. Trata-se da lança e do escudo de guerra espartanos, os quais não apenas trazem novas possibilidades de ataques, como também desempenham papel central na história do game — já que eram utilizadas por Kratos e Deimos durante seus treinamentos.

Chefões dignos do nome

Complementando a fórmula da franquia, é impossível negar a diversão de se encontrar padrões nos chefes colossais que surgem de tempos em tempos. Eles surpreendem, possuem ataques devastadores e normalmente são tão gigantescos que fariam qualquer um que não fosse o próprio deus da guerra se aliviar nas calças.

Enfim, embora não representem o maior desafio da história dos video games, os algozes de Kratos certamente impressionam — provavelmente ainda mais em versão HD.

Adição de troféus

Eis algo exclusivo do pacote Origins. Tanto Chains of Olympus quanto Ghost of Sparta ganham no bundle a adição de troféus — algo bastante conveniente para destacar os feitos sobre-humanos de um semideus. Enfim, certamente um upgrade dos mais convenientes.

Kratos em HD

Embora o estilo de modelagem de Chains of Olympus e Ghost of Sparta denuncie imediatamente a origem comum no PSP, não se pode ignorar que ambos assumem uma beleza sem precedentes em Origins.

Img_normal

As cenas estão mais limpas e detalhadas e, de fato, conseguem convencer em um ambiente de alta definição — sobretudo pelo tratamento anti-aliasing. Ademais, há ainda o suporte para estereoscopia (3D), o que certamente dará um feeling inédito, mesmo para os jogadores mais calejados em GoW.

reprovado

Carismático... Mas ainda assim canastrão

Kratos é provavelmente um dos maiores canastrões da história dos vídeo games. Ok, ok. Antes de você procurar a sede do Baixaki Jogos para atirar pedras, cabe aqui uma observação: é claro que grande parte da empatia do anti-herói provêm justamente desse estilo brutal.

Entretanto, a terrível inclinação para berrar absolutamente todas as palavras que da sua boca carrancuda faz com que, às vezes, a representação do personagem deixe um pouco a desejar — chegando mesmo a afetar a história... Caso você resolva prestar atenção. Senão, (spoileradiante!), basta conferir a ocasião em que o espartano conversa com sua mãe em Ghost of Sparta. Algo realmente dramático...

Por que sair do jogo?

Img_normal

Trata-se aqui de um deslize menor, mas também bastante sem sentido. Ao inserir a sua cópia de Origins no console, você poderá escolher entre os dois títulos para PSP... Sem maiores problemas. Entretanto, para deixar um jogo e entrar no outro, não há remédio: é preciso mesmo sair para o menu do PS3 para, em seguida, entrar novamente. Enfim, uma inconveniência que poderia ter sido evitada.

vale a pena?

God of War Origins é uma bela oportunidade para quem acabou deixando passar Chains of Olympus e Ghost of Sparta no PSP. Na verdade, mesmo quem já encarou os títulos ainda pode se deliciar com visuais muito mais de acordo com a relevância de GoW para as gerações atual e anterior de consoles.

Além belo tratamento gráfico, a estereoscopia (3D) e a adição de troféus certamente são bons motivos para revisitar alguns dos primeiros algozes que cruzaram o caminho sangrento de Kratos — suficientes mesmo para relevar o controverso talento para as artes dramáticas do protagonista.

Enfim, se ainda faltarem desculpas... Simplesmente vá atrás de Origins para se divertir novamente com algumas boas horas de sanguinolência sem propósito. Como sempre, é diversão garantida.