A série MX vs. ATV já habita o mundo dos games há um bom tempo. Desde os primeiros anos de vida do PlayStation 2, a série vem trazendo muita lama e velocidade aos consoles. Mas, suas corridas são bem conturbadas. Algumas versões trazem experiências agradáveis, enquanto outras simplesmente derrapam na pista, resultando em um verdadeiro caos.

A última versão do game, intitulada MX vs. ATV: Untamed, foi simplesmente horrível. Gráficos péssimos e uma jogabilidade que não agrada nem o público hardcore e muito menos os casuais. Contudo, a Rainbow Studios, responsável pelo game, pretende mudar isso.

Para tentar recuperar os fãs do game, a companhia decidiu alterar alguns elementos da fórmula, incluindo a jogabilidade, em seu próximo game. Com isso, MX vs. ATV Reflex chega com força total, prometendo criar uma experiência cheia de lama — no bom sentido.

Mas será que, desta vez, MX vs. ATV conseguiu limpar sua imagem diante os jogadores? A resposta você confere em nossa análise.

Calibrando os pneus

Bem, se você conhece a franquia então deve saber como é o estilo do game. Em Reflex os jogadores participam de vários eventos offroad envolvendo diversos veículos diferentes, como motos, motos leves, ATV (veículos para todo terreno), picapes e camionetas. O jogo oferece várias modalidades diferentes, incluindo modos multiplayer e uma opção para correr livremente pelos mapas.

A campanha principal, intitulada Motocareer, coloca o piloto criado pelo jogador em uma série de desafios variados. Além de corridas normais, você também terá de participar de eventos em que o objetivo é alcançar checkpoints (identificados por bandeiras) e outros.

Há também a opção Arcade, a qual conta com diversas modalidades para que o jogador desfrute de maneira mais ágil. Dentre elas está a, Free Ride, que coloca o corredor em uma área gigantesca, livre para fazer suas manobras. O jogador ainda tem acesso a corridas de eliminação, disputas contra o tempo e competições de melhor manobra.

Reflex traz uma série de veículos diferentes. Algumas corridas são restritas a uma determinada classe, mas existem exceções em que todos os tipos de carangas são permitidos. Além das motos, existem as motos leves, ATVs, os UTV (uma espécie de mistura entre picape e ATV) e os Trucks. Cada um conta com uma jogabilidade diferente, e você terá de se adaptar e aos formatos para mandar bem nas corridas.

Lá vamos nós!Falando em jogabilidade, uma das grandes novidades do game é o Rider Reflex. Trata-se da nova maneira de jogar que foi concebida pela Rainbow. Com o analógico esquerdo, você controla a direção do carro, enquanto o direito serve para mexer na inclinação do jogador. Mesmo que demore a ser dominado, o sistema até que funciona bem e consegue trazer algo de diferente para o gênero.

Infelizmente, diversos problemas ainda pairam sobre o game. Primeiramente, os gráficos. Assim como em seu antecessor, o jogo conta com visuais terríveis, que remetem à geração passada dos consoles — mas em alta resolução. Outro fator que incomoda bastante é a física do game, a qual é responsável pela maior frustração. Novamente, temos um game que não consegue decidir para qual lado vai (casual ou hardcore) e acaba atolado na lama, mesmo se esforçando.

aprovado

Sujo e veloz

Um dos elementos bacanas do game é atmosfera. A companhia conseguiu recriar um clima ideal para quem é fã destas corridas, trazendo uma trilha sonora pesada — com músicas de heavy metal e metalcore — e muita lama. Durante as corridas indoors (internas), o game ainda oferece holofotes e uma torcida animada.

Nas pistas, pode-se dizer o mesmo. O ruído dos motores satisfaz, equivalendo-se aos veículos retratados. As corridas contam com um ritmo interessante, exigindo que o jogador seja cauteloso em determinados momentos, equilibrando-se precisamente para não terminar em último lugar.

A grande variedade de modos também é um atraente. Praticamente tudo que é visto na televisão ou nos grandes shows pode ser feito por você no game. Corridas, Free Rides, disputas por pontos e eventos em mata fechada são um excelente presente para quem sempre desejou participar do radical mundo cheio de lama.

O reflexo de suas habilidades

Muita calma nesta 
horaO sistema novo de jogabilidade, intitulado Rider Reflex, traz um ajuste bacana à fórmula, tornando-a muito mais interessante que a versão anterior. Conforme mencionamos, é necessário utilizar os dois analógicos para realizar as curvas no game. Vamos aos detalhes.

O analógico esquerdo, que controla o guidão da moto, por exemplo, é mais indicado para curvas leves e pequenos movimentos. Já o direito serve para curvas mais fechadas, assim como evasões que exigem mais agilidade. No ar, você também terá de controlar o peso de seu atleta com a alavanca mais próxima aos botões da face.

No início, você pode até estranhar o sistema, achando-o impreciso e não funcional. Entretanto, após duas ou três corridas você provavelmente pegará o jeito, o que deve tornar tudo mais fácil. Este sistema é uma iniciativa bacana da desenvolvedora, exigindo mais do jogador e trazendo uma experiência mais próxima da realidade.

Ao infinito, e além!

Saltar é fundamental em Reflex. O jogo oferece uma série de manobras diferentes, as quais podem ser executadas com apenas alguns toques no joystick. Para entrar no “modo manobra”, tudo que o jogador deve fazer é segurar o botão L1 (LB no Xbox 360). Depois disso, basta utilizar o analógico direito para fazer qualquer uma das diversas combinações disponibilizadas pelo game.

As manobras são realizadas através de movimentos básicos, como para cima, para baixo e para cima, por exemplo. Entretanto, existe uma infinidade de movimentos, os quais podem ser conferidos através do menu em jogo do game. Mas, cuidado: a ambição pode trazer como resultado a sua cara colada no chão.

Cair no game é algo fácil — e extremamente engraçado. Para evitar tombos feios, a Rainbow trouxe um sistema que pode salvar a vida de muitos jogadores. Quando o jogador realiza uma manobra mal feita ou salta de locais muito altos, seu personagem irá se desequilibrar — algo que pode ser percebido visualmente. Você pode salvá-lo movimentando o analógico esquerdo na direção que aparece na tela. Um toque extra no game, que também é bem vindo por adicionar mais desafio ao título.

Lama para quatro, por favor

Seu pedido é uma ordem. Reflex traz um multiplayer que pode ser desfrutado online ou via split-screen (tela dividida). O jogo conta com duas modalidades para este modo. Uma delas é a Tag, em que o objetivo é evitar um capacete em forma de cabeça de porco que é passado para frente conforme o jogador toca o outro. Há também o Snake, no qual os motoqueiros devem cruzar o rastro deixado pelas motocicletas adversárias.

Os modos são bacanas, principalmente por oferecem a possibilidade de jogar em tela dividida. Destaque para Snake, que traz uma fórmula semelhante ao famoso Tron, mas com muito mais sujeira.

Diversão para a 
galera

reprovado

Gravidade?

Infelizmente, um dos maiores problemas do game é a física. Em diversas corridas feitas durante nossa análise, tivemos problemas com os pequenos objetos que cercavam a pista, assim como os próprios veículos. Ao passar sobre um pneu de proteção, por exemplo, sua caranga simplesmente sai voando e a corrida vai por água abaixo. O mesmo acontece no início dos eventos, quando ocorrem acidentes e tudo vira uma verdadeira salada.

O modo de como as coisas acontecem simplesmente não convence. Alguns saltos são realizados de maneira esquisita e as quedas não condizem com a realidade — seja no bom ou mau sentido. Isso atrapalha bastante a experiência.

Diversão esburacada

Tudo bem, entendemos que nas corridas deste estilo as pistas ficam todas deformadas conforme os veículos a percorrem. A Rainbow conseguiu trazer um efeito interessante para simular esta situação, fazendo com que as motos e os demais veículos literalmente cavem com as rodas por onde passam. E, como se pode imaginar, isso se torna um obstáculo para quem está atrás do responsável pelas artes na pista.

Mas, em vez de uma experiência realista, temos mais um problema. Os ATV, uma espécie de quadriciclo, reagem de maneira esquisita quando a pista está esburacada, e acabam sendo rebatidos de um lado para o outro como se pesassem menos de 10 quilos. Falando nisso, os veículos do game relembram os carrinhos “bate-bate”, pois quicam em qualquer coisa que surgir em sua frente sem grandes problemas.

Isso não vai dar 
certo...Já os Trucks, as caminhonetes mais “parrudas” do título, são praticamente invencíveis. Em corridas que envolvem uma mistura de veículos, estas carangas possuem uma vantagem absurda, atropelando tudo o que surge e sem dificuldades para percorrer as pistas esburacadas.

Prefiro cair na lama

Os visuais do game são terríveis. É possível visualizar claramente as texturas brotando na tela, algo que só ocorre a poucos metros de distância da moto. Ou seja, tudo que está a mais de 2 metros de seu personagem terá um visual completamente borrado e achatado.

Além disso, Reflex parece ter exagerado na lama. Praticamente tudo no game tem aspecto lamoso, incluindo até mesmo as pedras e qualquer outra superfície. A modelagem dos personagens não é das melhores, e as apresentadoras dos eventos não são nada atraentes.

vale a pena?

Não existem muitas opções do gênero na atual geração. Com exceção do excelente Pure e de Motorstorm, as corridas deste estilo estão mesmo na lama. Mas, se você é doido pela combinação "sujeira+veículos", então vale a pena conferir o game. O jogo conta com diversos problemas, incluindo gráficos terríveis, mas, com um pouco de paciência e tolerância, é possível desfrutar de um belo banho de lama. Talvez na próxima a Rainbow acerte.