O anime/mangá Naruto foi um sucesso instantâneo quando apareceu nas páginas da Shonen Jump nos idos de 1999. Criado por Masashi Kishimoto, Naruto acompanha a saga de Naruto Uzumaki, ninja da Vila Oculta da Folha (Konohagamure no Sato).

Depois de muitas estripulias e milhões de mangás vendidos, a franquia chegou a uma nova fase denominada Naruto: Shippuden. A “segunda” parte da trama revelou um novo inimigo — a temível Akatsuki —, além de explorar novos temas como os Jinchuurikis e retomar ganchos do primeiro arco, como a busca por Sasuke Uchiha.

Img_normalEm tempo, a fama de Naruto o levou para os video games e desde então os ninjas de Konoha somam sucessos em múltiplas plataformas nos mais variados gêneros — apesar da predileção por jogos de luta.

Entre os títulos mais famosos estão os títulos da série Naruto: Ultimate Ninja (ou Narultimate Hero) da CyberConnect2 e NAMCO BANDAI. A franquia que fez fama nas plataformas da Sony com oito jogos (cinco para o PS2 e outros três para o PSP).

Com a chegada dos consoles de sétima geração, a franquia evoluiu e em 2008 se transformou em Naruto: Ultimate Ninja Storm, trazendo a trupe de Kishimoto com exclusividade para o PlayStation 3.

Agora, Naruto Shippuuden: Ultimate Ninja Storm 2 segue a deixa do anime/mangá e retorna com grandes novidades, muito mais maduro e pela primeira vez no Xbox 360.

Se a primeira edição de Ultimate Ninja Storm já mostrou potencial, a nova empreitada da CyberConnect2 consolida as intenções da empresa agradando tanto aos fãs do anime/mangá como aos jogadores ávidos por um bom título de luta.

aprovado

Crônica do Furacão

A comparação do jogo com o anime é inevitável. A primeira fase de Naruto foi muito boa, e conseguiu conquistar milhões de fãs ao redor do mundo, porém sua “continuação”, a fase Shippuuden é incrivelmente superior e o mesmo acontece com o jogo.

Ultimate Ninja Storm mostrou grande potencial, mas a sequência é muito melhor. A CyberConnect2 ouviu os fãs do jogo e do anime para criar um título mais refinado.

As melhorias atendem às reclamações dos jogadores e fazem com que Ultimate Ninja Storm 2 retrate o universo de Naruto com muito mais fidelidade, ao mesmo tempo em que oferece um jogo de luta mais apurado.

Nas ruas de KonohaImg_normal

A trama de Ultimate Ninja Storm 2 segue os mesmos passos da saga Shippuden do anime/mangá, ou seja, imediatamente após o primeiro. Depois de dois anos e meio treinando com Jiraya, Naruto está de volta a Vila Oculta da Folha e agora tem que encarar o maior desafio da sua vida, a organização Akatsuki, enquanto busca uma forma recuperar seu amigo Sasuke.

O jogo reproduz momentos épicos da história como o resgate do Kazekage e a incrível batalha contra Pain. Vários momentos icônicos da série Shippuuden marcam presença no modo Aventura, que surpreende mesmo àqueles que já acompanharam os eventos no anime/mangá.

Apesar de pouco elaborado, o modo Aventura serve como um grande “serviço aos fãs” que poderão participar dos principais momentos da franquia. Além disso, a progressão nesta modalidade também serve para desbloquear novos personagens que poderão ser utilizados nos outros modos de jogo.

Ninjutsu

O sistema de combate é capciosamente fácil. São apenas dois botões de ataque, um de defesa e outro de pulo. Porém essa dinâmica simplista esconde um esquema engenhoso e que, apesar de facilmente aprendido, requer muitas horas para ser totalmente dominado.

As nuances do combate aparecem na hora de utilizar o chakra — a energia “mágica” dos ninjas. Conforme o chakra é acumulado, você pode utilizá-lo para modificar seus movimentos básicos.

Isso significa que você pode usar o chakra para executar um supersalto, esquiva, ataque ou até mesmo como combustível para bombas e outros ataques de longa distância. Quando você combina os golpes normais com efeitos criados a partir do uso do chakra, as lutas se tornam muito mais interessantes.

Img_normalAlém disso, você também pode contar com uma ajudinha dos seus amigos. Se a opção estiver habilitada, o jogador pode levar três lutadores para cada combate, um principal que será controlado por você e outros dois que ficaram de apoio.

Quando convocados, estes companheiros de equipe entram momentaneamente na ação para executar um determinado movimento especial. Cada lutador possui uma habilidade específica e são especializados em defesa, ataque ou em uma mistura equilibrada de ambas as técnicas.

Você pode utilizar seus companheiros para criar combos incríveis que atordoarão seus oponentes deixando-os expostos ao seu golpe final e no final das contas um jogo de luta com apenas um botão de ataque acaba se transformando em um sistema rico que aposta na técnica e experiência dos jogadores.

E se isso não bastasse, ainda temos as lutas contra os chefes durante o modo Aventura, que rendem alguns dos momentos mais interessantes do jogo. Todo o embate é definido por uma determinada quantidade de estrelas alcançadas pelo jogador.

As estrelas são obtidas quando você inflige certo nível de dano em seu inimigo, o que desencadeia um mini jogo (quick time event), se você pressionar os botões certos na hora certa, você ganha um número variado de estrelas.

Anime Img_normal

Os gráficos são outro ponto alto do jogo. A utilização do famoso filtro cell-shade esconde a maioria dos problemas e apresentam visuais com um estilo singular, muito próximo das animações feitas para televisão.

Durante as lutas contra os chefes o jogo oferece transições belíssimas em meio à ação. Mas é nas cenas de corte que os visuais realmente se destacam, apresentado a trama com muita qualidade em vídeos impressionantes.

Qualquer deficiência técnica é superada pela captura competente do clima do anime. Dos personagens e cenários — especialmente a Konoha do modo Aventura — até os efeitos especiais próprios dos golpes mais explosivos, os visuais de Ultimate Ninja Storm 2 agradam sem fazer muito alarde.

Outro ponto positivo que ajuda na ambientação é a possibilidade de utilizar a dublagem original — em japonês, com os mesmos dubladores do anime — com legendas.

Online no Jutsu

Além do modo Aventura e dos combates multiplayer locais, Ultimate Ninja Storm 2 oferece — pela primeira vez — lutas online. Uma das grandes novidades desta edição, o multiplayer online ainda tem alguns problemas, mas é uma belíssima adição à série.

reprovado

Lição de casa

O modo aventura é interessante, mas ainda precisa ser trabalhado. As missões e a forma como a trama é apresentada estão bem articulados, todavia, as tarefas secundárias são banais e não acrescentam nada à evolução do personagem. Seria interessante ver missões mais inteligentes e mais liberdade de exploração — algo limitadíssimo nesta edição.

Img_normalApesar de bem estruturado para uma primeira aparição, o modo online ainda pode ser aperfeiçoado. O lag é quase imperceptível, mas a dinâmica de busca por salas é “estranha”. É interessante ver a opção busca por partidas com melhor conexão ou por jogadores de nível semelhante ao seu, porém, é de se notar a falta de um botão de “busca rápida” que encaminhe diretamente o jogador para qualquer sala.

Outro problema é que se você entrar em uma sala que já está fechada, você é diretamente transportado para o menu de busca e temos que iniciar uma nova procura — o que pode demorar ainda mais e fechar outras salas que estavam disponíveis.

Serrote

Os visuais são belos e o estilo cell-shade ajuda a esconder muitas limitações técnicas, entretanto, o anti-aliasing — ou melhor, a falta dele — é algo realmente perturbador. O serrilhado é mais intenso no PlayStation 3, mas o Xbox 360 também sofre com o problema em menor escala.

Fuuinjutsus

O elenco de lutadores, com mais de 40 personagens traz os principais nomes da série, mas deixa de fora alguns grandes favoritos dos fãs — como Zabuza Momochi, Hiruzen Sarutobi e Tayuya.

Além disso, a maioria dos personagens está bloqueada e alguns só podem ser habilitados pelo modo Aventura — péssima notícia para quem queria utilizar Pain, Itachi e outros membros da Akatsuki já nas primeiras lutas.

vale a pena?

Naruto Shippuuden: Ultimate Ninja Storm 2 é obviamente voltado para os fãs do anime/mangá, no entanto, ainda é capaz de entreter aqueles totalmente alheios à mitologia criada por Masashi Kishimoto.

O sistema de combate é simples, mas difícil de ser dominado, enquanto que os gráficos são belos, apesar das limitações. O material original é muito bem representado e deve agradar em cheio a todos os fãs da série.

No final das contas, o título consegue agradar sem fazer muito alarde.