(Fonte da imagem: Divulgação/Panini Comics)

Um dos segredos por trás da fórmula de sucesso da série Assassin's Creed está exatamente na utilização de eventos reais para construir um enredo complexo e repleto de teorias conspiratórias e reviravoltas. E por que a Ubisoft ousaria alterar uma estrutura que vem dando certo há anos? Isso faz com que a HQ Assassin’s Creed: A Queda seja essencialmente tudo aquilo que já estamos acostumados a ver nos consoles — o que é ótimo!

Nós já falamos aqui no BJ sobre o gibi, que chega agora ao país pelas mãos da Panini Comicsem uma edição única que reúne as quatro edições da série lançada nos Estados Unidos. Assim como nos jogos, acompanhamos dois personagens em períodos históricos bem distintos: Daniel Cruz, um jovem que vive com aparentes problemas psiquiátricos e seu antepassado, o assassino Nikolai Orelov.

Desse modo, temos a clássica transição entre o “presente” — a trama principal acontece entre os anos de 1998 e 2000 — e o passado, mostrando a participação da Irmandade dentro da Rússia na virada dos séculos XIX e XX. O mais interessante é que todos esses acontecimentos são citados dentro dos games, o que faz com que a HQ expanda esses fatos de maneira muito interessante, principalmente ao apresentar personagens inéditos. Além de uma reconstrução histórica muito bem feita, prepare-se para encontrar figuras como Nicola Tesla, Lênin e o Czar Alexandre III como elementos fundamentais na luta secular entre assassinos e templários.

(Fonte da imagem: Reprodução/Assassin's Creed Wikia)

Ao contrário dos jogos, Assassin’s Creed: A Queda consegue ir explorar os dois lados do combate entre as duas facções, apresentando elementos que não eram bem explicados dentro da série. Exemplos disso são a própria organização e hierarquia mundial da Irmandade, assim como a real influência da Abstergo nos tempos modernos — incluindo referências de que o ex-presidente dos EUA, George W. Bush, era um agente templário. Esse aprofundamento deixa a trama muito mais interessante e envolvente, além de mostrar que essa guerra invisível ainda acontece nos dias de hoje, mesmo que de maneiras diferentes.

De modo geral, a HQ é uma leitura essencial para qualquer fã da franquia da Ubisoft. Indo além do que os livros conseguiram fazer, o gibi amplia o universo com ambientes e personagens inéditos com um apelo visual e narrativo muito bom. Além disso, a edição conta com um pequeno glossário que explica alguns dos acontecimentos reais apresentados na trama, o que ajuda na contextualização.

A revista custa R$ 14,90 e pode ser encontrada na maioria das bancas e livrarias de todo o Brasil.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!