O BJ foi até Seul conferir o lançamento do game (Fonte da imagem: Reprodução/Webzen)

O mercado está repleto de MMOs, sobretudo os RPGs. Com tantas opções no mercado, a dúvida sobre qual escolher é bem comum, principalmente quando todos eles têm temáticas e mecânicas tão parecidas. E é por isso que Continent of the Ninth Seal — ou simplesmente C9 — surge como uma alternativa interessante para quem procura algo diferente e, acima de tudo, gratuito.

Embora ele não seja o primeiro MMORPG de ação, a liberdade dada aos jogadores para usar os ataques desejados e para criar combos é algo bem interessante e que empolga.

Com o recente lançamento da versão completa do game, no último dia 12, o BJ atravessou o mundo e foi até a Coreia do Sul visitar os estúdios da Webzen, desenvolvedora responsável pelo título, para conferir quais os planos da empresa para o jogo. O produtor Nam Seok Kim nos explicou alguns detalhes sobre a mecânica básica, além de outras novidades.

De quebra, ainda conhecemos os Shadows, a nova classe avançada que chega para deixar os combates ainda mais intensos.

Shadow, a nova classe de C9 (Fonte da imagem: Reprodução/Webzen)
Baixaki Jogos: Os brasileiros adoram RPGs online, como Ragnarök Online e World of Warcraft, e os desenvolvedores ocidentais estão cada vez mais se destacando no mercado nos últimos anos. Continent of the Ninth Seal é a arma da Webzen para mudar esse cenário? O jogo é uma tentativa de atingir novos mercados ou o Oriente ainda é a meta neste momento?

Nam Seok Kim:Primeiramente, obrigado por comparar C9 com WOW e Ragnarök Online. Nós procuramos atingir não somente jogadores de uma ou outra região, mas todos aqueles que querem um MMORPG de ação em todo o mundo. O resultado só vai depender dos próprios jogadores.

BJ: Acabamos de conhecer o Shadow, uma nova classe para os Hunters. Outras expansões estão chegando para as outras classes?

Seok Kim:O Shadow é a primeira classe avançada a aparecer em Continent of the Ninth Seal, mas não será a única. Outras profissões estão em desenvolvimento e deverão chegar ao game em breve.

BJ: Essas classes avançadas são escolhidas no level 20. Como o Shadow é a única liberada até agora, o jogadores que usam outras profissões vão poder realizar a troca em algum momento ou terão que esperar até que sua respectiva expansão chegue?

Seok Kim:Neste momento, não temos nada planejado sobre a possibilidade de troca de classe. No entanto, quando os personagens avançados chegarem, nós vamos oferecer maneiras de fazer com que os jogadores possam evoluir mais rápido. Assim, você não precisa trocar de classe, apenas criar um novo herói.


BJ: E como funciona o sistema de evolução? Que tipo de motivação faz o jogador continuar investindo em seu personagem?

Seok Kim:Ao chegar a determinadas faixas de nível, novos conteúdos são desbloqueados. Para poder participar do PVP, por exemplo, o jogador precisa evoluir até o nível 10. Só a partir desse momento ele poderá entrar nas arenas e enfrentar outras pessoas.

Já no level 20, as classes avançadas são liberadas, deixando o personagem mais poderoso e com habilidades exclusivas, como no caso do Shadow. Além disso, novas skills são obtidas no nível 45 e, ao chegar ao 50, a Ultimate Fury Skill — movimento com maior dano — é desbloqueada.

BJ: Já que as coisas funcionam em faixas de nível, como isso é repassado ao PVP? Há algum tipo de nivelamento no matchmaking que me diga quando o adversário é mais forte ou eu tenho de descobrir de maneira empírica?

Seok Kim:Criamos um sistema que indica qual o nível de habilidade de cada jogador. Assim, cada sala pode indicar o quanto cada personagem é melhor do que você. Existem outras variáveis para deixar as coisas muito mais equilibradas e competitivas. Com base nas opções oferecidas, você pode definir qual a melhor arena para seu herói.

Além disso, as salas são divididas por faixas de níveis, o que deixa tudo mais parecido. Dentro das partidas, cada personagem tem seu level destacado sobre sua cabeça, deixando claro seu nível de poder.


BJ: As arenas PVP têm algo especial oferecer, como itens ou equipamentos, para fazer com que o jogador sinta-se motivado a desafiar outras pessoas?

Seok Kim:Por enquanto, nós oferecemos o chamado Arena Token, uma espécie de moeda que pode ser trocada por itens que vão ajudá-lo no PVE. Futuramente, queremos adicionar itens exclusivos para o PVP para que as pessoas sintam-se motivadas a participar das salas.

BJ: Os modos existentes no PVP de C9 parecem focar sempre na jogatina em pequenos grupos. Há alguma outra modalidade em que tenhamos mais personagens na tela?

Seok Kim:Sabemos que os jogadores gostariam de ter batalhas massivas no Player versus Player, mas, por enquanto, o tamanho máximo das arenas será de apenas duas equipes com oito pessoas. Estamos trabalhando duro para trazer uma experiência similar aos gamers.

BJ: E em relação ao sistema de cash? Por que a pessoa deve comprar o dinheiro para o game? Ele vai ficar mais forte, mais poderoso?

Seok Kim:Nós tentamos evitar a ideia de “pagar para vencer”. Em C9, o sistema de cash funciona com recursos adicionais, seja para expandir seu inventário ou resetar suas skills. A ideia é exatamente minimizar a sensação de que as pessoas só poderão se divertir caso tenham de pagar por isso.

Além disso, o jogador não precisa ficar preso apenas às W-Coins, já que itens como o responsável por resetar suas skills podem ser comercializados via Casa de Leilão, o que oferece mais opções e liberdade.


BJ: A Webzen tem planos para oferecer algum tipo de localização para C9, como tradução de conteúdo, suporte local ou de trazer os servidores para o país?

Seok Kim:Sobre a tradução de conteúdo, nós pretendemos oferecer idiomas adicionais ao jogo, incluindo o português. Já em relação à localização dos servidores, nós ainda estamos discutindo onde seriam os melhores lugares para oferecer o serviço global de C9.

O Baixaki Jogos foi a Seul a convite da Webzen.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!