Se você acompanha mais de perto o mundo dos jogos, com todos os executivos e grandes corporações por trás de tudo, deve ter notado que quase não há mulheres nesse meio. E isso é fato: segundo o site Videogamer, Lucy Bradshaw, da Maxis, foi a única representante do sexo feminino a comandar uma conferência durante a última E3.

Em entrevista, Bradshaw afirma que ficaria muito feliz em ver um maior equilíbrio de gênero também na indústria dos jogos. “Eu vejo pessoas vindas das faculdades de programação, com essa graduação de entretenimento multimídia muito multifacetada, são muito mais diversas”, afirmou.  E completa: “Então, nosso pessoal dentro da EA está começado a ficar mais equilibrado quanto ao gênero, mas não completamente e eu adoraria ver isso ainda mais”.

Quanto à parte mais teórica, a executiva da Maxis também aposta nas mulheres: “Primeiro de tudo, mulheres são boas para os negócios. Se você ler qualquer livro em que mulheres têm papéis de liderança nos negócios, ultimamente esses negócios têm ido bem”.

Porém, ela ressalva: “Mas eu penso que você tem uma perspectiva diferente quando tem uma mistura diferente por trás das cenas, fazendo jogos e tudo, e eu penso que isso realmente pode abrir diferentes tipos de inovação, características e caminhos para desenvolver jogos também”.

As previsões de Bradshaw parecem otimistas para um mercado quase que completamente dominado por figuras masculinas. Como em outros setores da vida social, parece apenas questão de tempo para que as mulheres conquistem seu espaço também no mundo do desenvolvimento de jogos.

Fonte: Videogamer. Destructioid
 

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!