Fonte: Reprodução/Metro
A professora Tanya Byron, autora de uma pesquisa muito interessante denominada “Byron Review”, ressaltou que fica a cargo dos pais a responsabilidade de garantir que as crianças estejam usando games com a classificação indicativa adequada a cada uma delas. Caso contrário, os jovens podem estar jogando títulos com conteúdo inapropriado para as suas respectivas idades.

De acordo com o site VG24/7, Byrne tem recebido algumas críticas quanto aos resultados de seu trabalho. “Quando eu fiz a pesquisa, em 2008, eu não encontrei essa indústria cínica que só quer criar games para explorar as pessoas e conseguir tirar o máximo de dinheiro possível”, diz a professora. Segundo ela, a indústria sempre se posicionou de uma maneira bastante clara quanto à criação de conteúdos: “O que é de adulto é criado para adultos, não para crianças”.

A autora também reiterou que a discussão de seu trabalho nunca teve a intenção de colocar a culpa de nada na indústria. O estudo feito pela pesquisadora avaliou os efeitos que o uso de video games e de internet podem causar em crianças de várias idades.

O trabalho de Byron também auxiliou na decisão de implementar a classificação etária obrigatória para cada título, tornando a análise de conteúdo moderna e precisa.

Fontes: OXM, VG24/7, Metro

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!