Você costuma ler análises e prévias? Bem, então é provável que você não seja um jogador casual por excelência. Pelo menos essa é a opinião do vice-presidente de fusões e aquisições da Rovio, Teemu Huuhtanen — trata-se da soft house que lançou a máquina de dinheiro Angry Birds no mercado, vale lembrar. De acordo com o executivo, a boa e velha propaganda boca a boca ainda surte muito mais efeito entre os jogadores casuais na hora de saber o que comprar.

Ao se referir ao próprio Angry Birds, Huuhtanen afirma que a exposição é “vital”. Entretanto, qualquer efeito conseguido entre mídias tocadas por especialistas é normalmente suplantado por conversas informais. “Nós tentamos monitorar redes sociais como o Facebook, o Twitter, blogs e também várias análises”, afirmou Huuhtanen durante o evento Gamelab em Barcelona — conforme divulgou o site Games Industry.

Ele continua: “Eu penso que todas [as fontes de difusão] são importantes, especialmente no início. Entretanto, eu não acredito que jogadores casuais realmente leiam blogs e análises — eles normalmente ouvem dos amigos sobre os jogos”. De qualquer forma, o executivo não tira o crédito da mídia especializada na hora de conferir o “embalo inicial” de um jogo. “Para ganhar impulso, é realmente válido conseguir boas avaliações”.

Os comentários de Huuhtanen representam um óbvio desdobramento do que disse Torsten Reil, da Natural Motion. Em entrevista ao referido site, Torsten afirmou que marketing envolvendo jogos para plataformas mobile “não funciona, de qualquer forma”. Seja lá onde se encontre o santo graal nesse caso, fato é que Angry Birds ostenta hoje inúmeros prêmios, tendo despachado ainda milhões de cópias entre corporativos ociosos.

Fonte: Games Industry

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!