VideoanálisePrototype 2 se passa pouco mais de um ano depois da conclusão do primeiro jogo. O palco da ação é novamente a cidade de Nova York, que foi outra vez assolada por um vírus mortal que transforma as pessoas em mutantes.

O herói de Prototype 2 é James Heller, um soldado do exército americano que perdeu sua família para o vírus que infestou a cidade enquanto ele estava em missão no Iraque. Ao retornar para a cidade, ele descobre que o responsável pela morte de sua família é Alex Mercer — protagonista do primeiro jogo —, que disseminou a praga.

No início da história, o herói é cercado por Mercer que, por algum motivo, o transforma em um mutante como ele. James Heller tem agora uma série de poderes para enfrentar os inimigos e a força militar especial que tomou conta da cidade, a Blackwatch.

aprovado

Mais rápido que uma bala

O sistema de jogo é simples: você tem poderes quase ilimitados para percorrer a cidade de Nova York, que é dividida em três setores: amarelo, verde e vermelho. Em cada um deles você executa missões para prosseguir na história. Para complementar, existem várias tarefas secundárias que, quando cumpridas, recompensam o herói com novas habilidades.

James Heller possui uma série de poderes sobre-humanos. Além de pular da altura dos prédios, ele pode planar de um edifício a outro e conseguir correr parede acima ignorando completamente a lei da gravidade.

Img_normal
Aos poucos, o herói adquire novos poderes: um par de garras — semelhante às do Wolverine, de X-men —, uma espada, uma espécie de chicote com lâminas que despedaça tudo à sua volta e, para finalizar, o poder de transformar os dois braços em bolas de demolição para esmagar a tudo e a todos.

Alguns inimigos podem ser transformados em bombas biológicas que explodem quando entram em contato com outros seres vivos. Se nada disso for suficiente para saciar a sua sede de destruição, Heller pode controlar os outros mutantes e enviá-los em sua defesa. O golpe final e mais poderoso é uma explosão de “biomassa”, com a qual o herói lança “tentáculos” para todos os lados e arrebenta meia cidade de uma vez só.

Piloto de fuga

Para variar um pouco na hora da destruição, Heller pode aprender a dirigir tanques de guerra e até mesmo a pilotar helicópteros. As dezenas de armas carregadas pelos soldados da Blackwatch também podem ser utilizadas na hora do combate.

Img_normal
A grande variedade de ataques possíveis dentro do jogo torna a aventura muito divertida. Você não precisa ser discreto. Se achar necessário, poderá subir no topo do Edifício Chrysler (um dos mais altos do mundo) em Nova York e pular lá de cima para atacar algum pobre soldado que esteja patrulhando as ruas da cidade; é claro que, com isso, todo o quarteirão vai sentir o impacto do seu golpe.

Missões e obrigações

Para garantir a diversão, você tem as missões secundárias. Existem as “caixas pretas” que você pode coletar para ganhar bônus e também conhecer partes da trama que envolvem a criação do Mercer Virus, grupos de combate especiais para ser localizados e destruídos e, também, prédios cheios de monstros, entre outras quests.

Img_normal
Cada missão cumprida rende pontos de experiência e, com eles, a evolução do herói. Sempre que Heller sobe de nível, ele ganha um ponto que pode ser utilizado para habilitar mutações específicas. Dentro da cidade, também existem personagens com habilidades especiais que podem ser absorvidas por ele para aumentar seus poderes: um atirador de elite aumenta a experiência do herói com rifles, por exemplo.

Bancando o agente secreto

James Heller pode “absorver” outros seres vivos. Esse poder garante ao herói a possibilidade de enxergar as memórias das vítimas. Graças a isso, é possível disfarçar-se de qualquer personagem presente na cidade, inclusive membros da Gentek ou da força especial Blackwatch.

Img_normal
Muitas missões exigem que Heller “consuma” um cientista específico para então acessar algum computador central e prosseguir com a tarefa específica. Outras exigem que o herói assuma a identidade de algum militar de alto posto para infiltrar-se no quartel general inimigo e interceptar informações valiosas.

O som

O som em Prototype é bem produzido. As dublagens dos personagens conseguem passar as emoções do momento, seja no ódio de Heller ao encontrar Alex Mercer ou a voz sarcástica do antagonista quando conversa com o herói.

Img_normal
As cutscenes são um destaque no jogo. Vídeos em preto e branco com apenas alguns efeitos coloridos, como os olhos ou outros detalhes, são bem produzidos e chamam atenção pela qualidade.

reprovado

Animações simples demais

Apesar de ter gráficos razoáveis, Prototype 2 possui animações muito simples. O sistema de colisão também deixa muito a desejar: quando você ataca um tanque de guerra, parece que você está batendo em uma caixa de papelão.

Os efeitos especiais das explosões são extremamente simples, passando a impressão de que os produtores simplesmente copiaram o efeito pronto do jogo anterior e nem se deram ao trabalho de melhorar a composição das imagens.

Img_normal

Nenhum inimigo à altura do herói

A dificuldade (ou a falta dela) pode ser um pouco frustrante. Como o herói é absurdamente poderoso, não existem inimigos fortes o suficiente para enfrentá-lo. Após chegar ao final do jogo, é possível reiniciar a história no modo “New Game +”, mantendo todos os poderes adquiridos anteriormente.

Junto com o novo modo de jogo, você pode iniciar o game na dificuldade impossible (impossível). Mesmo assim, os inimigos não deverão ser um problema muito grande. Isso fica mais comprometido ainda com a repetição de missões que, depois de um tempo, parecem ser apenas variações de uma mesma.

Img_normal

vale a pena?

Em Prototype 2, você vai encontrar uma história simples — mas convincente —, boa jogabilidade e uma quantidade absurda de violência e destruição. O sistema de jogo foi simplificado e melhorado desde a primeira versão, tornando a aventura mais dinâmica e completamente focada na diversão, mesmo oferecendo pouca dificuldade.

Apesar de alguns problemas com as animações, o jogo tem um visual bom, principalmente nas cutscenes. A história é bem contada e, tirando alguns deslizes, quase todas as perguntas são respondidas no decorrer da aventura.

Img_normal
A diversão é quase sem limites para quem gosta de uma boa dose de destruição: o nível de possibilidades para isso que o jogo proporciona é grande. Serão muitas horas de explosões, desmembramentos e destruição de quase todas as maneiras imagináveis.
 

Jogo cedido pela Compare Games