Videoanálise

O anúncio de Resident Evil: Revelations não deixou muitos fãs felizes. O game, apesar de ter como principal objetivo trazer de volta o antigo terror da franquia, seria exclusivo do Nintendo 3DS, usando os recursos do console para deixar o jogador ainda mais tenso. A exclusividade não agradou.

O lançamento, porém, faz parte de um esforço da Capcom para expandir a saga ao máximo de plataformas possíveis e vem para provar que é possível fazer um game de respeito fora dos consoles de mesa. Com uma trama global, que envolve bioterrorismo e as organizações governamentais que combatem a ameaça, Revelations ainda traz de volta a dupla Chris e Jill, dois dos personagens mais queridos da franquia.

aprovado

Terror a cada sala

Img_normal

Resident Evil: Revelations é uma resposta aos fãs. É a prova definitiva de que a Capcom está atenta aos nossos pedidos. O game é incrivelmente tenso e, sem dúvida alguma, fará você passar pelo menos alguns momentos de pânico na frente do portátil. Nenhum lugar é seguro e o personagem jamais estará totalmente protegido.

A escassez de munição é o principal fator para esta sensação de insegurança. Os inimigos não deixam itens ao serem mortos. Sendo assim, em diversos momentos, correr dos monstros é a melhor opção para economizar algumas balas, que podem ser preciosas em combates mais à frente.

Img_normal

Explorar o cenário é essencial e qualquer item encontrado pode ser sua salvação. É aí que entra o Genesis Scanner, equipamento estreante na série, capaz de localizar objetos escondidos nos cenários. As descobertas variam entre munição, granadas ou artigos para cura.

Os inimigos estão presentes em diversas formas, uma mais surpreendente que a outra. Quando você acha que está acostumado ao comportamento de um determinado tipo de monstro, logo aparece outro que modifica completamente os combates e torna tudo mais surpreendente.

Jogo de intrigas

Resident Evil: Revelations apresenta uma das tramas mais ricas e interessantes de toda a franquia. As situações cheias de reviravoltas ocorrem em várias partes do mundo com diversos personagens, usando um sistema de episódios para alternar entre um protagonista e outro. Cada um deles tem sua importância e todos contribuem para um enredo impressionante.

Não vamos falar mais sobre a trama para não estragar a surpresa. Saiba apenas que, no game, nem tudo é o que parece e mesmo seus companheiros podem se transformar em terríveis vilões.

Fazendo bonito na palma da mão

O novo capítulo de Resident Evil exibe um dos melhores gráficos já vistos em um console portátil. Mesmo com os efeitos 3D ligados no máximo, os visuais continuam belíssimos e impressionam, principalmente nas cenas de corte. O nível é altíssimo e não deve muito para vídeos que assistimos nos consoles de mesa.

Img_normal

O grande destaque neste quesito fica para algumas áreas internas do cruzeiro Queen Zenobia. O cassino e o hall, por exemplo, são imponentes e apresentam uma impressionante riqueza de detalhes. O mesmo vale para os modelos de personagens, com roupas cheias de acessórios e elementos bem característicos.

Novidades que chegam para somar

Resident Evil: Revelations também traz uma série de inovações no controle. Além da possibilidade de ser possível andar e atirar ao mesmo tempo – um fator que é muito facilitado pela utilização do Circle Pad Pro –, basta pressionar um botão para usar itens de cura ou armas secundárias. As novidades tornam a jogabilidade bem mais fluida.

Img_normal

Temos ainda o Raid Mode, um extra que deixa o tradicional Mercenaries no chinelo. Também voltado totalmente para o combate, o modo coloca o jogador para enfrentar uma série de inimigos em cenários já conhecidos do game normal. Os monstros contam com diferentes atributos, podendo aparecer mais fortes ou velozes, e a fase só termina quando todos estiverem mortos.

Qualquer ação realizada no game garante pontos que podem ser trocados por novas armas, upgrades ou roupas. O game também conta com missões que premiam o jogador que cumpre certos requisitos, em um esquema parecido com os famosos troféus ou conquistas. O gerenciamento de tudo isso é feito por meio de baús espalhados pelo modo campanha ou antes do início de uma missão no Raid Mode.

reprovado

O tamanho tem seu preço

Img_normal

Resident Evil: Revelations tem muitos pontos positivos, porém, não é o título perfeito. Uma das principais falhas do game é a baixa qualidade das cutscenes, não no quesito gráfico, mas no quesito compressão.

Além de aparecerem com as cores chapadas, como se o brilho do console estivesse desregulado, é possível perceber diversos artefatos na imagem, resultantes do processo de redução do tamanho dos arquivos. Isso, apesar de essencial para que o game caiba em um cartucho de Nintendo 3DS, acaba maculando o alto nível visual do game.

Oi? Como assim?

A ótima trama de Resident Evil: Revelations também tem seu ponto fraco, decorrente do sistema episódico usado pela Capcom para contá-la. Os capítulos curtos do game tornam o enredo extremamente fragmentado e, em diversos momentos, acabam o deixando bem confuso.

Tudo acontece muito rapidamente e, caso você não fique ligado, poderá perder algum detalhe importante e essencial para o entendimento do enredo. Os novatos em Resident Evil devem ter um pouco mais de trabalho, pois os fãs já conhecem os personagens e seus papeis na história.

vale a pena?

Img_normal

Revelations é prova de que a Capcom não se esqueceu do bom e velho terror. Apesar das poucas falhas, é o game que os fãs da saga estavam pedindo desde 2005, quando Resident Evil 4 chegou ás lojas para modificar completamente a franquia. Apague as luzes, coloque os fones de ouvido e prepare-se para ficar aterrorizado mais uma vez.