Gameplay comentado

Há 10 anos, estreava nos cinemas "Homem-Aranha", primeira adaptação cinematográfica do personagem de mesmo nome. O filme fez um sucesso estrondoso, tendo ainda duas sequências lançadas em 2004 e 2007.

Só que o tempo passa e chegou a hora de uma nova geração ser apresentada ao Homem-Aranha. "O Espetacular Homem-Aranha" é o nome do novo filme que reconta, de maneira mais “pé no chão”, a origem do Aranha, seu primeiro amor e o confronto com o seu primeiro supervilão, o Lagarto.

Como era de se esperar, o filme, assim como as adaptações anteriores, ganhou um jogo para Xbox 360, PlayStation 3, Wii, 3DS e PC. The Amazing Spider-Man apresenta funções conhecidas dos fãs de games do Homem-Aranha, assim como algumas novidades.

Agora, chegou a hora de saber se a nova aventura do Cabeça de Teia é digna dos 50 anos do personagem ou se ela é só mais um jogo meia-boca baseado em um filme.

aprovado

Manhattan é o seu parque de diversões

Um elemento que estava sumido nas últimas aventuras do Homem-Aranha nos video games está de volta na forma do mundo aberto, ou Free Roam. Você tem total liberdade para ficar se balançando em teias entre arranha-céus da ilha de Manhattan. Fãs do personagem devem gastar algumas horas só passeando pela cidade e resolvendo pequenos crimes que acontecem pelo cenário.

Img_normal

Pontos turísticos, como Times Square, Central Park e Empire State Building, estão lá para serem visitados. Apesar de não ser possível entrar em todos os prédios, a experiência de “se tornar o Homem-Aranha”, mostrando todo a sua habilidade e seus poderes em saltos vertiginosos por Nova York, deve divertir até aqueles jogadores mais exigentes.

Nada de adaptação. O jogo é uma continuação do filme

Talvez um dos grandes problemas de adaptação de filmes para os games é o fato de a história ser presa ao material original, o que impede que seus desenvolvedores possam criar algo único.

Em The Amazing Spider-Man, a Beenox ousou ao criar uma continuação direta do filme. O game começa alguns meses após o final do longa-metragem, criando uma verdadeira ponte entre ele e sua vindoura continuação, anunciada para chegar aos cinemas em 2014.

Img_normal

Após o ataque do Lagarto à cidade de Nova York, a Oscorp tenta se reinventar para limpar o seu nome perante a população. Só que experiências relacionadas aos projetos do Dr. Curt Connors continuaram sendo desenvolvidas, e o que antes era um soro utilizado por uma pessoa, agora, se tornou um vírus que acabou chegando às ruas.

Tudo muito interessante e que deve agradar aos fãs do personagem e do filme, que estreou recentemente, ainda que em algumas situações, existam alguns momentos um pouco forçados.

Vilões conhecidos, novas origens

Como um jogo de super-herói não sobrevive apenas de passear pelo cenário e derrotar capangas, The Amazing Spider-Man tem a participação de alguns vilões clássicos dos quadrinhos. Estão presentes versões de Rhino, Vermin e Escorpião, todos dentro do contexto apresentado pelo reboot da franquia no cinema.

Img_normal

Quem é fã do Homem-Aranha e tem certa atenção a detalhes notará algumas menções especiais a alguns personagens que se tornam vilões. Dica: fique de olho nas biografias dos bandidos que encontrar e conversas dentro da Oscorp. Existem pelo menos dois comentários que farão fãs se empolgarem muito e torcerem para que a sequência do filme carregue elementos do game na história.

Faça tudo o que uma aranha pode fazer

Um dos pontos que, assim que foram mostrados em vídeos de gameplay, chamou muito a atenção foi o sistema de combate do jogo. Em vez de golpes grosseiros, perdidos e que não chegam perto dos inimigos, agora cada ataque encontra o alvo como se fosse uma tijolada bem dada.

Parecido com o sistema de combate de jogos como Batman: Arkham Asylum/Batman: Arkham City, The Amazing Spider-Man mostra um Homem-Aranha ágil, forte e acrobático. Além dos botões de ataque e esquiva, você pode utilizar a nova função Web Rush para acabar com seus oponentes.

Img_normal

Essa nova função apresenta uma maneira diferente de se comportar no meio de uma pancadaria contra capangas ou enquanto se passeia pelo cenário. Ativando o Web Rush, o jogo entra numa espécie de “bullet time”, em que são apresentadas várias possibilidades de sair de ponto A e chegar no ponto B.

Como estamos falando do Homem-Aranha, tudo é acrobático e incrível, o que deve encher os olhos até dos fãs mais incrédulos.

Os gráficos do jogo não são os melhores da geração atual, mas alguns detalhes, como a perfeição da roupa do Aranha, mostram que a Beenox teve uma atenção especial na caracterização do personagem.

reprovado

Dificuldade 8 ou 80

A primeira coisa a se fazer quando The Amazing Spider-Man começa é escolher a dificuldade que será aplicada ao game. Existem três níveis: Human, Hero e Superhero. Sinceramente, poderiam existir apenas os modos “Fácil” (Human e Hero) e “Você vai morrer rápido” (para o Superhero).

Img_normal

Enquanto nos modos Human e Hero tudo é muito simples, sendo tranquilo passar por um grupo relativamente grande de oponentes sem tomar um soco, no Superhero eles atacam você com toda a vontade do mundo e, em pouco mais de três socos, você estará largado no chão.

Sim, estamos falando do modo mais difícil e ele deve ser assim, mas o problema é que não existe uma curva clara de evolução de dificuldade. Se você fechar o jogo nos modos mais fáceis, passará por tudo sem fazer muito esforço. Passe para o modo mais difícil e comece a morrer em momentos que antes você estava “dando show”.

Cadê a Emma Stone?

É normal quando um filme é adaptado para os games que membros do elenco emprestem sua aparência e dublem os personagens que interpretaram. Isso aconteceu com os jogos baseados na trilogia anterior do Homem-Aranha, mas não se repetiu com The Amazing Spider-Man.

Img_normal

Além de feições que lembram muito vagamente os atores que trabalharam no longa-metragem, todas as vozes foram dubladas por dubladores profissionais. Tanto a dublagem como os modelos de personagens estão bem-feitos, mas é algo que tira um pouco o brilho de “continuação” do filme.

Que câmera safada...

The Amazing Spider-Man se divide em duas partes: liberdade em Manhattan e missões em locais fechados. Enquanto você comanda a câmera com facilidade quando você se pendura em prédios da Grande Maçã, é só ficar em um ambiente fechado para ver como ela pode ser irritante.

Img_normal

A câmera tem a mania de se fixar — durante alguns momentos — em ângulos que só atrapalham, como no canto de uma parede. Quando isso acontece no meio de uma luta, é quase certeza que você receberá um sopapo na cara.

Quando você resolve escalar uma parede e andar pelo teto, a câmera e como movimentá-la se modificam completamente, fazendo com que você tenha que gastar alguns segundos para poder se adaptar a ela, quando, na verdade, ela é que deveria se adaptar a você.

vale a pena?

Comparado com outros games do Homem-Aranha da geração atual, The Amazing Spider-Man é um grande jogo. Ainda está longe de ser considerado o jogo perfeito do personagem, como foi a impressão que jogadores tiveram com o Batman e o lançamento de Batman: Arkham Asylum.

O título consegue se destacar dentro de uma legião de adaptações de filmes, divertindo e sendo fiel ao personagem. Mesmo assim, ainda fica a sensação de que se a Beenox tivesse um pouco mais de tempo para desenvolver um jogo original do Homem-Aranha em moldes parecidos, teríamos em mãos o título definitivo do Amigão da Vizinhança.