vale a pena?
Muitos consideram o golfe um esporte muito entediante, pois existe pouco tempo de ação se comparado ao tempo que os jogadores passam indo de um buraco a outro. Sendo assim, não é um esporte popular. É muito mais comum a prática dele por pessoas de nível social mais elevado, como forma de lazer tranquila e que pode ser realizada com amigos enquanto conversam.

Desta forma, muitos não vêem graça em um jogo de golfe para video game. Mas desde o surgimento desta modalidade no mundo virtual os desenvolvedores vêm tentando remediar isto através de características da jogabilidade que sejam emocionantes ou gratificantes – ao mesmo tempo em que a experiência seja acessível e profunda, simultaneamente.

A primeira impressão é a que fica

Em Tiger Woods 10 PGA Tour, podemos dizer que os novatos do esporte estarão completamente perdidos inicialmente. O jogo apresenta uma quantidade aparentemente infindável de menus, opções e configurações, mesmo que você queira apenas jogar uma partida rápida. Características da pista, do jogador, do tempo, da partida, tudo pode ser mudado.

Muito trabalho para chegar até esta primeira tacada

Uma boa notícia para os que já são experientes, mas que faz com que os iniciantes se batam constantemente até conseguir chegar ao ponto principal do game: o modo carreira, que coloca o jogador em um calendário de campeonatos que ele deve disputar. O problema é que para isso você deve primeiro criar um personagem, incluindo personalização completa de sua aparência facial, o que é um tanto quanto trabalhoso.

Mas tudo bem. Imaginamos que assim você estará participando com um avatar que você se identifique, tornando a experiência mais imersiva. Mas aí você repara que, fora o rosto, nada pode ser mudado. E como esta parte do corpo está geralmente de lado – a não ser nas animações pós ou pré-tacada – isto não faz tanta diferença assim.

Tiger Woods não ficou entre os primeiros nos nossos campeonatos! Após uma batalha para passar pelas configurações e ir ao jogo, a coisa não simplificou nem um pouco. Inúmeras variáveis na tela e um sistema de jogo padrão – através do analógico esquerdo – sensível demais só serviram para confundir ainda mais nossa equipe. E olhe que aqueles que fizeram esta análise haviam previamente testado o hands-on. Algumas semanas após esta experiência e já havíamos esquecido vários dos detalhes que permeiam a jogabilidade.

Mas conseguimos ao menos lembrar de uma coisa: ao pressionar o R3 – clicar o analógico direito – o jogador consegue alternar para um modo de tacada diferente: nele, você aperta o X uma vez para liberar um marcador que vai até o fim de uma barra e volta. Enquanto ele vai, pressionar o X irá determinar a força e fará com que comece a voltar. Enquanto ele volta, pressionar o X irá determinar o quão para a direita ou para a esquerda a bolinha irá, em relação ao alvo previamente escolhido.

Este sistema se adapta muito melhor à preferência dos responsáveis pela análise, mas é questão de gosto pessoal. Uma vez prontos, apertamos o círculo para ajustar a mira. Através dela, os tacos se alternam automaticamente dependendo da distância, o que é bastante prático. Mesmo assim, o jogador ainda deve decidir a melhor opção: taco mais forte e uma tacada mais fraca para tirar a bola de um terreno difícil; ou taco mais fraco com tacada mais forte para uma jogada mais precisa.

Com estes conceitos básicos em mente a coisa vira uma questão de prática. E que prática. Certamente não é fácil adquirir experiência no game, e consideramos que sejam necessárias algumas horas para estar completamente familiarizado com as diversas características que afetam uma simples tacada.

Uma boa variedade de campos, mas...

No que diz respeito aos desafios encontrados pelo jogador, o título é certamente bastante diverso. Cada um dos buracos possui um desenho próprio, modelado de acordo com pistas reais. Isto faz com que eles possuam uma dificuldade considerável, especialmente para iniciantes.

Bonito, mas frequentemente quadro a quadro

A nossa equipe, que possuía pouca experiência com games de golfe, não conseguiu completar nenhum campeonato no negativo – quanto menor a pontuação neste esporte, melhor. Uma tacada mal calculada ou um aperto a mais do botão X sem querer podem custar várias tacadas e afundar completamente uma série inteira. A atenção deve ser máxima em cada uma das jogadas.

Os cenários são bastante diversificados, com campos perto do mar, perto de lagos e até mesmo entre bosques densos. O que peca é a baixa resolução das texturas que compõem estes lugares. A grama é pobre e as árvores não parecem nem um pouco reais. A profundidade da visão é certamente impressionante, mas quedas de frames por segundo não são incomuns - o que atrapalha demais se acontecerem durante as tacadas e os gráficos em geral parecem clamar por mais filtros.

A multidão que acompanha você em cada tacada também é completamente negligenciada pelo avanço tecnológico dos video games. Sinceramente, elas se parecem com a que era vista em jogos de futebol antigos, só que em 3D. Suas animações são igualmente reduzidas e limitadas, algo bastante triste considerando que elas afetam seu jogo em alguns momentos.

De qual forma? Basicamente, a sua bolinha pode acertar os dementes que insistem em ficar perto demais do caminho percorrido por ela. O que algumas vezes pode seriamente prejudicá-lo, ou auxiliá-lo. As pessoas podem parar bolinhas que tinham destino certo ou uma que se perderia para fora dos limites do campo. Seja como for, não é uma sensação agradável.

O aspecto principal

Será que vai no vidro? Ops, já usei esta frase no hands-on! O modo carreira é sem dúvida o cerne do jogo. Através dele, você irá acompanhar o desenvolvimento de seu personagem conforme ele aprimora suas técnicas de golfe no caminho para adquirir os títulos que merece. Isto é feito de uma forma bastante interessante.

Conforme você vai jogando os diversos torneios, o seu estilo ficará claro. Se você é melhor nas pancadas mais fortes de início, irá começar a receber prêmios por isso, e sua habilidade se desenvolverá. O mesmo vale para sua competência nas tacadas de curta distância e no putt. Nós aqui do Baixaki Jogos conseguimos até mesmo bater Tiger Woods em termos de “drives” no “fairway”!

Você deve estar pensando a esta altura: “mas os meus pontos fortes são melhorados enquanto meus pontos fracos continuam iguais? Assim meu personagem ficará completamente desequilibrado!” Não se preocupe, a EA não iria deixar passar tamanha gafe. Para manter seu jogador proficiente nas diversas áreas necessárias para seu sucesso, existe um técnico que o acompanha durante a sua carreira.

Este técnico irá ensiná-lo o básico no início da campanha e continuará a fornecer exercícios para o aprimoramento de suas técnicas mais adiante. Além desta ajuda, existem outras através dos vários campeonatos, na forma de comentários por parte dos analistas que descrevem os diferentes buracos e a forma de jogá-los.

Falando em comentários

Embora este seja um aspecto ignorado por grande parte dos jogadores brasileiros, foi uma parte decepcionante do game. Toda vez que errávamos alguma tacada, os comentaristas massacravam nossas jogadas e era difícil arrancar elogios. A impressão toda era de que estávamos apenas fazendo mínimo necessário quando conseguíamos Birdies.

Hahaha, errou a bolinha!

No final das contas, a impressão que tivemos é que, para nos divertir, tínhamos de ignorar a maior parte das regras, opções e configurações existentes, apenas nos contentando em dar algumas tacadas. Certamente isto não será verdadeiro para aficionados do esporte, mas achamos que todos estes detalhes foram longe demais.

Um jogo sólido, que certamente possuirá apelo junto aos fãs de golfe, mas que corre um sério risco de ser descartado rapidamente por jogadores iniciantes – tanto do esporte em si quanto da iteração em video games.